Autor: André de Leones

Noites japonesas

“Noite e névoa no Japão” (1960), de Nagisa Oshima, começa e termina com discursos obtusos, de um professor meio vacilão e de um burocrata stalinista, sendo este, por certo, a criatura mais desprezível em todo o filme. O longa é coalhado de planos longos (o primeiro dura uns dez minutos), e não raro os flashbacks […]

Carnívoros

Artigo publicado n’O Popular em 30.04.2024. “Os grandes carnívoros” (ed. Alfaguara) é o novo romance da carioca Adriana Lisboa. Vencedora do Prêmio José Saramago, Lisboa é uma das melhores escritoras brasileiras contemporâneas, autora de uma obra impressionantemente regular e muito, mas muito acima da média. Aliás, não me canso de dizer que, ao receber a […]

Canto LIII

“Yeou”: Yu Tsao-chi foi um rei mítico da China, sucessor da grande trindade (os três augustos) que reinou por 54 mil anos (18 mil cada). Yu teria ensinado os súditos a construir casas (na verdade, cabanas usando galhos e outros materiais facilmente encontráveis). Seu nome significa algo como “possuindo ninho”. “Seo Gin”: Sui Jen-chi foi […]

Canto LII

Os CANTOS CHINESES (LII-LXI) usam como fonte onze (dos doze) volumes da Histoire generale de la Chine, do jesuíta francês Joseph-Anna-Marie de Moyriac de Mailla (1669-1748). De Mailla viveu em Pequim por 37 anos. A obra foi concluída em 1730 e publicada entre 1777 e 1783. Sendo um iluminista, de Mailla apreciava a ênfase na […]

Cantos LII-LXXI (1940)

Subdivisão: CANTOS CHINESES (LII-LXI) CANTOS DE ADAMS (LXII-LXXI) — no próprio livro, na abertura da seção, Pound oferece um bom índice desses Cantos para que os leitores se orientem. CANTO LII Um Canto estranho. Começa remetendo a Leopoldo, prossegue reiterando cretinices antissemitas, mas torna-se outra coisa ao abraçar o Livro dos Ritos em alguns versos […]

Canto LXXXIV

“Si tuit (…) plor”: “Se todo o pesar e as lágrimas”. Trata-se de algo já citado no Canto LXXX. Trata-se do lamento de Bertran de Born pela morte do rei Henrique, o Jovem (1155-1183). “Angold”: o poeta britânico John Penrose Angold (1909-1943), morto em ação (como piloto da RAF). “τεθνηκε”: “ele está morto”. “tuit (…) […]

Canto LXXXIII

“υδωρ”: “água”. “et Pax”: “e paz”. “Gemisto”: Gemisto Pletão (1355-1452), de fato, elegeu Netuno (Poseidon) como o maior dos deuses. Rimini é citada a seguir porque, depois de lutar contra os turcos a mando dos venezianos em 1466, Sigismundo Malatesta levou os ossos de Gemistos para essa cidade e os colocou em um dos sarcófagos […]

Canto LXXXII

“cão de caça”: Sirius, estrela da constelação Cão Maior, visível a olho nu. “Jeffers, Lovell…” etc. eram trainees no DTC. “Swinburne (…) perda”: Pound admirava muito o poeta inglês Algernon Charles Swinburne (1837-1909) e dedicou a ele o poema “Salve O Pontifex” em A Lume Spento (1908). A “perda”, no caso, deve-se ao fato de que Swinburne […]