À espera de Le Pen

Trecho de Ravelstein, de Saul Bellow: As coisas não chegam a acontecer se não acontecem em Paris, ou se Paris não fica sabendo. Aquela velha fornalha em erupção, Balzac, estabeleceu que isso era um princípio. O que Paris não havia examinado nem mesmo existia. É claro que Ravelstein conhecia demais o mundo moderno para concordar […]

Todos os dias, nós todos

Para a Kelly, meu riocorrente. Introibo. Para um estudo centrado no sexto capítulo do Ulysses de James Joyce (e no trecho correspondente da Odisseia de Homero), sugiro que leiam Hades, Glasnevin. Aqui, não me limito aos muros daquele cemitério, embora ainda esteja (em parte) preso à extensão do domínio da morte. 1. “Mamãe morrendo, volte.” May Joyce sofreu uma morte lenta, terrível. […]

Shosta

A arte pertence a todos e a ninguém. A arte pertence a todos os tempos e a nenhum tempo. A arte pertence aos que criam e aos que desfrutam. A arte não pertence ao Povo e ao Partido, assim como nunca pertenceu à aristocracia e aos patronos. A arte é o sussurro da história, ouvido […]

Auster etc.

Paul Auster completa 70 anos de idade hoje. A Trilogia de Nova York, A Invenção da Solidão e Leviatã (numa edição estourada da BestSeller que achei em um sebo na W3-Sul) foram muito importantes para mim quando, aos dezenove, vinte anos, vivia sozinho num barracão no Guará II, no DF, rascunhava meus primeiros contos, tinha um emprego de […]

Folhas secas

Leio nos diários de Wittgenstein (06/05/1931): “Em Brahms, as cores do som da orquestra são cores das marcações do caminho”. Antes, ele discorre sobre como Brahms “compunha com a pena”, ao passo que Bruckner (por exemplo) o fazia “com o ouvido interno & com uma ideia de orquestra tocando”. Wittgenstein pesca as características e antecipa os […]

Zoo literário

Texto publicado hoje pelo jornal O Popular. “Pode-se contar nos dedos de uma mão só o número de gente no mundo editorial que ainda respira”, diz o escritor Guy Ableman, narrador e protagonista de O Grande Zoológico, romance de Howard Jacobson lançado pela Bertrand Brasil no ano passado, com tradução de Regina Lyra. Ele tem […]

Livros / 2016

Ficção e não-ficção. Somente livros publicados pela primeira vez no Brasil ou em seu país de origem em 2016, listados em ordem alfabética por sobrenome do(a) autor(a). Dentre os estrangeiros, meus prediletos são Uma Vida Pequena, de Hanya Yanagihara, e The Noise of Time, de Julian Barnes; dentre os brasileiros, O Conto Zero, de Sérgio Sant’Anna. E, […]