Elvira, RIP

Soube há pouco que a escritora Elvira Vigna faleceu. Tinha sessenta e nove anos de idade. Era uma das vozes mais instigantes da literatura brasileira contemporânea. Em abril de 2010, escrevi sobre seu romance Nada a Dizer para o Jornal do Brasil. Republico abaixo a resenha. Que Elvira descanse em paz. No romance Nada a […]

Desterrados

Resenha publicada n’O Estado de São Paulo, em 16.06.2012. A memória de nossas memórias, terceiro romance da norte-americana Nicole Krauss, é estruturado a partir de cinco narradores dispersos no tempo, no espaço e em si mesmos. De certa forma, o livro é um acúmulo de situações vividas por desterrados ou que aludem, direta ou indiretamente, […]

Sunny Jim

Resenha publicada no Estadão em 16.04.2014. Antes de abordar Finn’s Hotel, e até para esclarecermos seu título, falemos um pouco sobre Nora Barnacle, a moça de Galway que fugiu de casa depois de levar uma surra de um tio, pois teria se engraçado com um rapaz protestante. Ela arranjou trabalho como camareira no Finn’s Hotel, em […]

Contra o silêncio

Resenha publicada n’O Estado de São Paulo em 11.02.2017. Três momentos extremamente delicados da vida do compositor russo Dmitri Shostakovich (1906-1975), nos quais ele manca “cautelosamente de uma ansiedade para outra”, servem como espinha dorsal para o estupendo O Ruído do Tempo, romance do premiado autor britânico Julian Barnes. Aqui e ali, o leitor se […]

Conexões etc.

Sempre às quintas. ::: Começo pela resenha de A Tradutora, de Cristovão Tezza, que escrevi para O Estado de São Paulo e foi publicada na edição de ontem, mas você pode ler AQUI. ::: Me gusta Trump: na New Yorker, León Krauze perfila um eleitor hispânico de Donald Trump. ::: Enquanto isso, duas cineastas palestinas foram premiadas […]

Christie

Um crime é tão interessante quanto as narrativas que engendra no âmbito de uma história maior. Essas narrativas dizem respeito a várias coisas: às versões das testemunhas, às descrições dos investigadores, aos registros processuais, às omissões (propositais ou não) dos envolvidos, etc. Dentre muitos outros motivos, Agatha Christie construiu uma obra tão perene porque soube […]

Izhaki

No início, o romance pode dar a impressão de ser (mais) uma jornada ao intestino grosso do meio literário mediante uma estruturação ‘esperta’. Não é o caso, felizmente. O que Izhaki proporciona é menos óbvio e mais profundo. Seu romance encerra uma procissão de fracassos, na qual ele próprio não se inclui: de pais com […]