Na beira do “Eufrates”

Eufrates está chegando. A versão eletrônica já está em pré-venda na Amazon. A versão impressa logo chegará às livrarias. Assim que confirmar a data do lançamento paulistano, divulgarei aqui. Serviremos acepipes. É o meu sexto romance. É sobre deformação. Deformação afetiva, deformação familiar, deformação política. É sobre perder e (com sorte) reencontrar o outro, ou […]

Elogio da disfunção narrativa

Texto publicado na edição de julho do Jornal Rascunho. Incomoda-me a noção de que, em um romance (ou filme, ou série, ou o quê), cada cena, diálogo ou passagem tem de, necessariamente, exibir uma “função narrativa”. É um vício muito disseminado pelas (más) oficinas (sic) de criação literária e que, em parte, é responsável por […]

Hanói

Texto publicado hoje n’O Popular. Hanói é um lugar para morrer. Morre-se em todo e qualquer lugar, mas David, trinta e poucos anos, doente terminal e protagonista do romance Hanói (Alfaguara), de Adriana Lisboa, escolhe a cidade vietnamita. É uma vontade dele, viajar, passar ali seus últimos dias. Escolha tão gratuita e casual como foi […]

Em Paraty

Participarei da programação do SESC durante a FLIP 2018. Caso estejam por lá e se animem a conferir: Sexta-feira, 27 – 19:30hs – SESC Caborê. ::: Exibição do filme Dias Vazios, premiada adaptação do meu romance Hoje está um dia morto. ::: Bate-papo comigo, Robney Bruno de Almeida (diretor do longa) e a coreógrafa Maria Waleska […]