Dispersos

::: O sono do isolamento produz monstros — ou trata de explicitá-los. ::: Leio isto. Leio e penso: incerteza quanto ao futuro é algo intrínseco à existência. E a “iminência do trágico” só é “alegoria”…

Ausências calcinadas

::: Os doze narradores de Boa Tarde às Coisas Aqui em Baixo têm em comum “a certeza do efêmero” de que nos fala a epígrafe virgiliana do romance. Não são vozes que nos chegam, mas,…

“Opulência” no Estadão

Escrevi sobre Opulência, romance de Luis S. Krausz, para a edição de hoje do Estadão. Clique AQUI ou na imagem abaixo para ler.

Contra o isolamento

O caderno Pensar, d’O Estado de Minas, fez esse guia aí. Eu fui um dos indicaram cinco calhamaços. A matéria é assinada pelo jornalista e escritor Carlos Marcelo. Leia AQUI. Também participei do podcast do…

Estamos todos doentes

Trecho de DENTES NEGROS (Rocco, 2011) Compre o livro AQUI. Eles estão sentados à mesa do bar, outra vez em silêncio. Ela é muito jovem e ele não sabe o que ela faz, não se…

Boa, Jair

Artigo publicado hoje n’O Popular. É difícil explicar para pessoas intelectualmente limitadas o conceito de ironia. Quando a limitação intelectual se alia aos preconceitos mais rasteiros, qualquer tentativa de explicação se torna inútil. Você fala…

No Opção

Fui entrevistado por Adérito Schneider para o Jornal Opção, de Goiânia. Clique AQUI para ler.

Na Revista E

Na edição de fevereiro da Revista E, do Sesc-SP, uma ficção inédita minha, trecho (cru) de um projeto em andamento. Leia clicando AQUI .