Pólio

Para E.M., que sobreviveu para me dar esta história. INCIPIT O som de um corpo atirado n’água, o seu próprio corpo – o primeiro som guardado na memória. MERGULHO O pai foi apanhá-lo na cama, o hálito quente de cigarro, quente e áspero ao estreitá-lo junto ao corpo, a caminho do banheiro. Viu abaixo a […]

1986

Um conto. A árvore de Natal já estava na sala. A família a montou em silêncio, os quatro ali reunidos, dias antes da viagem. Aquele foi o intervalo doloroso de uma despedida, ou o seu início. As malas ficaram no tapete, bem perto da árvore, esperando por eles, por sua partida, desde a véspera. Estavam […]

Antes de dormir

Trecho do meu romancemprogresso. As coisas trazidas aleatoriamente pela conversa à mesa do jantar se interpuseram entre Cristiano e o sono. Deitado na cama, a mesma cama de outros tempos, aqueles tão falhamente evocados, percorreu de novo alguns dos tópicos da conversa, procurando se aproximar do que assinalavam, fosse o que fosse. ***** Era a […]

Adobe

Excerto do meu romancemprogresso. Pai e filho permaneceram ali por mais um tempo. Mais notícias de conhecidos, o refrão separando cada uma das estrofes da conversa. Então, Lázaro perguntou se ele não queria dar uma volta pelo terreiro. Encheram e levaram os copos consigo. Ziguezaguearam por entre as árvores, olhando ao redor, para baixo, o […]

Todas as coisas doces demais

Um conto natalino, escrito há uns dois ou três anos. Para a Caroll. …… The waiting drove me mad You’re finally here and I’m a mess Pearl Jam, Corduroy. Algo precisava ser dito, mas talvez já fosse tarde demais. Estavam à sombra, ele sentado observando uma mulher gorda que passava com um golden retriever e […]