DFW como experiência religiosa

dfw

No momento em que as mais de mil páginas de Infinite Jest estão sendo traduzidas, nada melhor do que uma introdução à prosa virtuosística de David Foster Wallace. Até porque o volume de contos Breves Entrevistas com Homens Hediondos, lançado há alguns anos, só atingiu uma parcela relativamente maior (e ainda assim não muito grande) de público após a trágica morte do escritor, aos 46 anos de idade, em 2008. Assim, numa tentativa louvável de reapresentar o autor aos leitores brasileiros, chegaram recentemente às livrarias as peças de não ficção reunidas em Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo. Para quem nunca leu nada desse sujeito genialmente idiossincrático (e vice-versa), eis um bom aperitivo. Para quem já o conhece, é como voltar para casa.

— Trecho da minha resenha de Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo, de David Foster Wallace, publicada n’O Estado de S. Paulo em 1º/12/2012. Clique AQUI e leia na íntegra.