Buwalda

Pornografia, assassinatos, adultérios, alcoolismo, segredos, suicídio, surtos psicóticos e prevaricação: não é de se espantar que Bonita Avenue, romance de estreia do jornalista e editor holandês Peter Buwalda, seja um best-seller multipremiado. Em suas mais de 500 páginas que se permitem ler sem atropelos, o autor desenvolve uma história sombria a partir de três pontos de vista, indo e voltando no tempo e alternando entre a primeira e a terceira pessoas, as quais nos contam do esfarelamento de uma família e sugerem – pois nem tudo são sombras – a constituição de outra.

Trecho da minha resenha de Bonita Avenue, publicada na edição de hoje d’O Estado de S. Paulo. Leia na íntegra AQUI.