Hosana

hosana

“O romance Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola, não é bem uma história de amor, claro, mas uma odisseia mundana que, embora não tenha uma Ítaca à vista, traz de volta aquele inconfundível narrador-protagonista e, com ele, um par de ‘sereias’. Dada a intensidade com que ele se envolve com essas duas mulheres, e tendo em vista os desdobramentos disso, custa a crer que o amor não seja algo como uma experiência de quase morte. Não por acaso, depois de sobreviver a si mesmo outra vez, o narrador afirma: ‘A vida fisgada pela morte. Resumidamente, esse é o enredo das histórias de amor’.
“Por outro lado, ou nem tanto, também estamos diante de um longo processo de aceitação da irredimível solidão, uma solidão “crua e óbvia”, do “nosso erro em estado de urgência”, que constitui esse personagem.”

Trecho da minha resenha de Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola, publicada hoje no Estadão. Leia na íntegra AQUI. O jornal também publicou uma entrevista feita por Guilherme Sobota com o autor.