Adiante, rumo a 1989.

Lepanto

À caça do próximo romance, preenchi cadernos, tive ideias “geniais” (que evaporaram sem deixar rastro), retomei e abandonei velhos projetos, e agora acho que encontrei a coisa certa, no momento certo. Como entreguei Eufrates para a editora em dezembro de 2017, acho que já estava na hora de parar com esse tateio e agarrar algo com os dentes. Claro, as coisas têm lá o tempo delas e não há nada que eu possa fazer além de procurar e procurar e procurar; no fim das contas, esses talvez sejam os dias mais bacanas, os dias entre uma história e outra, repletos de possibilidades, de “e se”, de ideias soltas e sinopses apressadas e pedaços de diálogos.

Não vou falar “sobre o que é” o romancemprogresso, exceto pelo seguinte: é um road novel e a história se passa em 1989.

Abaixo, listei uns livros, discos e filmes que (cada qual a seu modo e por razões muito, mas muito particulares mesmo) têm alguma coisa a ver com o que estou desenvolvendo. Sim, são bem díspares entre si. Não, (ainda) não enlouqueci de vez.

Sigamos.

Riding with Death, Jean-Michel Basquiat

LIVROS
Expedição ao Inverno, de Aharon Appelfeld.
Cabeça a Prêmio e Famílias Terrivelmente Felizes, de Marçal Aquino.
Temporada de Caça, de Russell Banks.
Um Céu de Estrelas, de Fernando Bonassi.
Sobressalto, de Kenneth Cook.
Glamorama, de Bret Easton Ellis.
Ultraluminous, Katherine Faw.
Desça, Moisés, de William Faulkner.
Alguém Parado Lá Fora, de William Gaddis.
Omensetter’s Luck, de William H. Gass.
Almas Mortas, de Nikolai Gógol.
Warlock, de Oakley Hall.
Suttree, de Cormac McCarthy
Zombie, de Joyce Carol Oates.
Um Homem Bom é Difícil de Encontrar, de Flannery O’Connor.
Curto Alcance, de Anne Proulx.
A Judgement in Stone, de Ruth Rendell.
O Amigo de Infância, de Donna Tartt.
Butcher’s Crossing, de John Williams.
After the Fire, a Still Small Voice e Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld.

DISCOS
My War, Black Flag.
Sinfonia nº3, Anton Bruckner (com Karl Böhm regendo a F. de Viena).
Group Sex, Circle Jerks.
Skies of America, Ornette Coleman.
In the Name of Suffering, Eyehategod.
More Beer, Fear.
For Bunita Marcus, Morton Feldman.
Fog Tropes, Ingram Marshall.
Quarteto de Cordas nº4, Dmitri Shostakovich (com o Quarteto Borodin).
Join the Army, Suicidal Tendencies.
Underground, Thelonious Monk.
Sinfonia nº2, Alfred Schnittke.
Cop, Swans.

FILMES
McCabe and Mrs. Miller, de Robert Altman.
La Bête, de Walerian Borowczyk.
O Anjo Nasceu, de Julio Bressane.
Gosto de Sangue, de Joel & Ethan Coen.
964 Pinocchio, Shojin Fukui.
Magnicídio, de Derek Jarman.
Harakiri, de Masaki Kobayashi.
A Morte Cansada, de Fritz Lang.
The Image, de Radley Metzger.
Tragam-me a Cabeça de Alfredo Garcia, de Sam Peckinpah.
They Live by Night, de Nicholas Ray.
Walkabout, de Nicolas Roeg.
Café Flesh, de Stephen Sayadian.
Vento e Areia, de Victor Sjöström.
High Sierra, de Raoul Walsh.
O Estado das Coisas, de Wim Wenders.
Verão Violento, de Valerio Zurlini.